Afropunk Fest 2015 | New York

Paaaaaaaaaaara tudo. Sério, PARA!

O magamoura.com fez 1 ano no dia 20 de agosto e aonde eu vim comemorar? Em NY, porque não sou brinquedo.

Ainda não consegui voltar ao mundo depois desse fim de semana. Sim, foi o melhor evento do ano, os melhores shows, a melhor “passarela” e as melhores energias da galera mais linda e foda que eu já vi na vida. O Afropunk Fest é algo muito além…

Falando um pouco sobre a história do movimento, ele surgiu há 11 anos, depois do documentário Afro-Punk: A ‘Rock and Roll N****r’ Experience do diretor James Spooner. O filme trouxe a estética e também o fascínio das pessoas negras pelo punk-rock, fugindo daquela “normalidade” de que negros apenas gostam/cantam/tocam jazz, blues, R&B, Hip Hop, pagode e samba! rs… Bem, resumidamente, o doc fez sucesso e a partir daí houve uma união de forças, com o próprio Sponner, para promover o encontro desse povo todo que encontrou a sua libertação musical nesse sentido, surgiu assim o primeiro Afropunk Fest. Foram 3 dias de filme e mais 3 dias de bandas, nada comparado ao que é hoje. Spooner saiu do círculo e, em seu décimo primeiro ano, o evento está cada vez maior, chegou em Paris em junho deste ano e vai para Atlanta agora em Outubro.

O festival também não é mais tão exclusivamente punk como antigamente, a diversidade de música é maior, sem perder a qualidade. Lembrando que este é o segundo ano em que o Afropunk Fest é pago, todas as outras edições foram livres. Isso sim é motivo pra bater panela! kkk

Quem conferiu o line-up sabe que o negócio não foi brincadeira, dentre os principais artistas estavam Grace Jones, Ms. Lauryn Hill, Kelis, Lenny Kravitz e SZA. Foi bafro atrás de bafro, no Commodore Barry Park – Brooklyn/NY.

O que teve de novo este ano foi o Afropunk Fancy Dress Ball,  festa realizada um dia antes do festival para levantar fundos para o “Afropunk Global Initiative”, que se dedica à promoção da diversidade nos meios de comunicação e das artes, além de serviço voluntário. Rolaram shows da Grace Jones e do rapper Cakes da Killa na noite, os ingressos eram super salgados, mas por uma boa causa. Estive por lá e já pude sentir um pouco da vibe maravilhosa que viria nos dois dias de festival.

Já no sáááábado, foi aquela coisa maravilhosa e linda de se ver em baixo de um calor insano, tô com a marquinha da regata, uma coisa lyndra na pele. Me apaixonei demais por tudo gente, é de chorar ver tanta gente negra maravilhoooosa, cada cabelo, cada personalidade.

Aliás, falando em personalidade, vocês devem ter visto no meu instagram a produção do look que usei para o primeiro dia. Pois sim, junto com a Levi’s Brasil, essa marca não só foda, mas que está comigo nessas idas a eventos culturais e que me representam muito, super topou a minha ideia de personalizar com o meu amigo e grafiteiro talentosíssimo Zizi, a jardineira da nova coleção feminina que vem por aí…

Olha isso, sucesso até no The New York Times:

O Zizi trabalha na Fábrica de Cultura do Jardim São Luís, ele dá aula para as crianças e adolescentes, foi no ateliê da escola que ele fez toda essa arte na peça.

Fiquei super feliz com o resultado, já sabia que ficaria incrível, pois quando encontro o Zizi ele sempre está usando as roupas que customiza. Sempre pedia pra ele fazer uma pra mim também e agora finalmente deu super certo!

Já no segundo dia, botei um look básico com jeans da Levi’s e destaque para os acessórios. A bolsa eu mesma fiz, comprei na 25 de março essa pelúcia e customizei com a ajuda da minha mãe que é costureira. Os brincos também são handmade, tive a ideia junto com o Leandro Dario, meu amigo, que montou esse pom pom dream.

Agora dos looks do povo, é praticamente impossível captar todo mundo, queria ter vindo com uma equipe de 30 fotógrafos! kkk… Só que a minha realidade sou euzynha e o meu celular mesmo, então vamys aos baphys!

São milhares de pessoas super autênticas e verdadeiras. Dá pra sentir isso!

E tem os majestades, que são as pessoas mais famosas das edições passadas do Afropunk, como a linda da @reignpalaisapiim abaixo:

Encontrei também uma das meninas do Oshun,  grupo que fez um dos melhores shows do festival. Ela ama o Brasil, pega essa camisetinha!

Trombei também Coco and Breezy…

E o Cakes da Killa baphônico!

Passado o momento de assédio,  identifiquei duas toptrends no festival!rs… As batas africanas e os cabelos de twist, trança aqui não é o maior hit não!

Eu que tava me achando com as batas que comprei na Angola, aqui o povo vende no meio da rua. rs

No Fest também há varias tendas, com lojinhas de produtos africanos, óculos escuros, camisetas, ativismo e mais um montão de coisa pra comer e comprar!

Bom, sobre os shows do primeiro dia, infelizmente a rainha Lauryn Hill não foi tão incrível graças a equipe de som que deixou tudo super baixo e aí do nada deu pane no palco e o show acabou sem Lauryn nem dar tchau, foi triste. No mais, durante o dia foi muito sucesso.

Já no domiiingo, muita lacração e novos amigos, aliás fiz muitos amigos novos. Fora as milhares de pessoas que vieram pedir pra tirar foto, pois amavam o meu trabalho, cabelo e estilo…Fiquei emocionada em ser reconhecida! rs

Eu minha ami do black azul brilhamos mais que qualquer Corinthians.

Bom, daí que domingo rolaram os melhores shows, Oshun foi muito foda, Raury, Jesse Boykinks, Kelela…AFF!!! O segundo dia foi muito delícia e encerrado pelo divo Lenny Kravitz.

Não tenho mais o que falar, apenas sentir… Ah, e aconselhar vocês a rezarem pela baixa do dólar e pelo porquinho cheio. É extremamente necessário para qualquer pessoa, principalmente negra, vir nesse evento. O Afropunk Fest é o puro empoderamento!

Ano que vem já vou chegar logo em todos! Me aguardem!

Valeu Afropunk, Valeu NYC!

:)))

Comments

comments

8 respostas
  1. Ailanne Ferreira says:

    Que sonhooo é esse festival, né não, Maga??
    Tudo muito lindo e inspirador!!
    Ainda bem que fomos super bem representados com vc por lá.
    Adoro seus looks no insta, te descobri por lá, e foi só amô.
    Bjus, lindona!!

  2. Alessandra says:

    Aahhh que tudo!!! No próximo quero estar lá com você!!! Arrasou no afropunk e no post detalhado que me deixou morta de vontade!

  3. Roberta says:

    Maravilhosa,magalinda,magaperfeita,oooo mulher que tomba na cara da sociedade com esses looks que eu super me identifico,tombooooou com estilo e na trança … PERFEITA E AUTÊNTICA

  4. Bianca Carpes says:

    SENHORRRRRRR ME SOCORRE!!!!!
    Foi graças ao teu estilo que conheci a palavra personalidade, parabéns por tudo, e eu gostaria de pedir insistentemente por mais posts, por mais de você!!!

  5. Lorena says:

    Quero muito essa sua bolsa , vc que fez ? Fala onde comprou pleas ela é muito linda . Estou adorando seu blog vou começar a passar por ele mais vezes, encontrei hoje esse blog e já me apaixonei.

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] Tá a fim de ver de perto a próxima edição? Então fica ligado que este ano ainda rola Afropunk em Atlanta, nos dias 3 e 4 de Outubro. Ah, e aproveita pra ler o depoimento da lindíssima Magá Moura, que também conferiu de perto o Festival e contou mais no seu blog. […]

Os comentários estão fechados.