Vocês precisam conhecer o clôsy da arte de Mari Mats

Olaaar cloclôs, tudo bem???

Hoje eu vim contar um pouco pra vocês de uma pessoinha que eu admiro muito, minha amy artista plástica, grafiteira, lynda e babadeyra Mari Mats.

Vocês já devem ter percebido pelas redes que estamos sempre juntas, né? Imagina juntas! kkk

Mari tem um estilo bem próprio e, depois que se entra em contato com o seu trabalho, é impossível não reconhecê-lo pelas ruas da cidade. Suas bonequinhas, seu traço, a explosão de cores de suas obras… É tudo inconfundível!

Isso porque ela tinha suas ressalvas quando começou, vê se pode: “comecei a pintar na rua com spray em 2004”, ela me contou, “comecei mesmo colando uns lambes até pegar o spray e sair pintando, era muito difícil e eu achava que não ia conseguir um traço bom, mas nada como o treino e a persistência”, opina. Ainda bem que você persistiu myg! kkk.

#tbt da minha obra nos @nos_trilhos #marimats #cemiteriodetrens #arteurbana #grafite #nostrilhos

A post shared by Mariana Mats (@mari_mats) on

A relação com a arte de rua começou mesmo quando ela foi morar no centro de SP. “Eu morava na Zona Norte e, super jovem, não tinha internet ainda e com isso não sabia das novidades que rolavam pra quem morava na fonte, onde tudo acontecia primeiro, que era o centro da cidade.” Foi assim, com essa mudança, que Mari começou a observar os muros e paredys da região e notar os desenhos espalhados. “Isso despertou algo em mim, pois já na 4ª série do ensino fundamental eu havia descoberto que tinha a mão boa para desenhar hehehe”. Eu amo!

#digitalillustration #marimats #deusas #queens #girlpower #finart

A post shared by Mariana Mats (@mari_mats) on

E aí que hoje a closeeeyra é referência do graffiti no Brasyl, uma das minas representando o rolê. E pra fazer esse baphy todo, a Mari gosta de desenhar livremente, colar no muro e deixar sair. “Mas também pesquiso muito, estou sempre observando novas possibilidades, que vou aplicando aos poucos”, diz, “me inspiro muito na natureza, nas pessoas, na música, na moda, nos artistas que admiro”. Ainda assim, Mats diz que não sente aquela coisa de se inspirar pra o momento certo do desenho: “deu vontade, desenha! Às vezes você simplesmente não quer fazer nada rs”. 

Como um clôsy é um clôsy, além de todos os baphys artsy, a Mari Mats também é DJ e espalha sua seleção musical por algumas das melhores festas de São Paulo! A música sempre fez parte da vida dela e, trabalhando na noite e conhecendo geral, um belo dia de 2012 a Mari se perguntou “porque não?” e resolveu se jogar na função. “Em breve pretendo começar minhas produções, aguardem!”, promete.

Pic @wesleyallen_ 😉🖤 @lions_nightclub #djmats

A post shared by Mariana Mats (@mari_mats) on

Perguntei pra minha amy de seus planos para o futuro e ela disse que ultimamente o que ela quer mesmo é viver um dia após o outro, “pois o mundo tá doidão, né?”. Mas disse que quer viajar, conhecer lugares novos, ter novas experiências e levar com ela seus amores: sua arte, sua música e seu love e meu outro mygles @Vtao. Enquanto a Mari vai dominando o mundy, aproveite a deixa e corra pra conhecer mais do trampo dela! <3

:)))

Foto de destaque: Guilherme Santana/VICE

Comments

comments